Dashboard – benefícios e passo a passo

seg 20 de ago de 2018

1. Conceito

São gerados muitos dados a todo instante e já é de conhecimento das empresas que esses dados transformados em informação auxiliam na tomada de decisões assertivas.

O dashboard vem para facilitar essas decisões, sendo um painel de rápido acesso, seu principal objetivo é a visualização do objeto analisado em um determinado momento. Pode ser atualizado automaticamente na periodicidade disponibilizada pela fonte de dado, podendo inclusive, ser  minuto a minuto caso a fonte permita. Por sua característica de automatizar o processo de coleta e apresentação de dados, tem como uma vantagem expressiva a diminuição de tempo necessário para visualizar as informações e pode evitar erros humanos  e até manipulações fraudulentas.

Sendo um otimizador de processo, com atualizações que podem ocorrer em tempo real, ele processa informações em “aspectos” determinados, o que facilita a tomada de decisão rapidamente.

Só beleza não é o objetivo do dashboard, mas é necessário que seja visualmente agradável, com gráficos e cores que tenham relação com o que deseja ser avaliado. Seu principal objetivo é a comunicação e para isso é necessário que os dados apresentados sejam de qualidade e relevantes, tendo um design simples e com facilidade de acesso e compreensão.

dashboard 5

2. Principais benefícios do dashboard:

Além de ver os dados de forma mais organizada, e com isso ter um ganho de tempo, o que para muitas empresas significa dinheiro e agilidade nas tomadas de decisões. Ter um dashboard para que os colaboradores tenham acesso auxilia na inclusão de diferentes setores de uma empresa, informando e sinalizando todos para o mesmo objetivo. Com isso, problemas e prejuízos tendem a diminuir, visto que é possível ver movimentações ter agilidade na tomada de decisão.

3. Passo a passo para criação de um dashboard:

É necessário definir alguns aspectos antes, durante e depois da criação do dashboard, confira o passo a passo:

Antes:

  • Determinar se o dashboard será operacional, tático ou estratégico;
  • Definir a origem dos dados coletados;
  • Escolher os indicadores relevantes, sem excesso de informações;
  • Definir a granularidade do dado (ex: dia, hora, mês)
  • Definir os filtros que poderão ser aplicados;
  • Definir o permissionamento (quem poderá ter acesso a quais informações).

Durante:

  • Escolher de ferramenta de acordo com o mapeamento dos dados;
  • Garantir que os dados estejam sendo extraídos da forma que foi planejada;
  • Conferir se a metodologia está correta e a usabilidade de acordo;
  • Estruturar a programação técnica;
  • Escolher os gráficos adequado, poucas cores e efeitos com harmonia visual;  

Depois:

  • Criar a cultura de uso para os demais colaboradores;
  • Liberar os acessos de acordo com as permissões;
  • Analisar os dados extraídos;
  • Fomentar discussões e obter conclusões;
  • Usar o dashboard.

4. Algumas ferramentas para construção de um dashboard:

  • Google Data Studio
  • Klipfolio
  • Power BI
  • Tableau

Agora você entendeu mais sobre dashboards, mas se ainda precisa de uma ajuda profissional, clique aqui e entre em contato com a A² Business Intelligence.dashboard_

 Por Jhiule Gomes