DSP (Demand Side Plataform), o que é e para que serve?

 

Demand Side Plataforms (DSP) são plataformas para gerenciamento de campanhas online. São parecidas com o Google AdWords, no entanto, como não se limitam à esfera de atuação do Google, podem oferecer perspectivas maiores para o departamento de marketing.

É até interessante fazer essa comparação, afinal, o AdWords tem um nome popular e pode nos servir de referência para explicar o que é DSP. Seu grande diferencial está na possibilidade de seus anunciantes terem acesso a diversos espaços publicitários que a ferramenta armazena, isso tudo, através de transações sob o modelo Real-Time Bidding (RTB).

O RTB, por sua vez, é um modelo integrado de se fazer transações de publicidade na web. Um tipo de leilão.

É o modelo de compra que envolve a relação de DSP’s e SSP’s (Sell Side Plataforms, que atuam ao lado dos publishers para facilitar a venda de espaços publicitários): enquanto a primeira procura por inventários disponíveis que estejam de acordo com o os objetivos dos anunciantes, o segundo disponibiliza de maneira automática todo o inventário que os portais querem vender.

Claro, as informações de terceiros são inseridas e integradas aos DSP’s com auxílio externo: ferramentas como o Navegg incorporam dados de perfis de usuários ao seu algoritmo, para ela saber com precisão qual perfil atingir.

RTB e o marketing de dados

O modelo de trabalho de um RTB, então, é parecido com o da bolsa de valores, com leilões em tempo real. Sendo assim, a partir dos dados disponibilizados pela DMP (a Data Management Plataform), o DSP compra espaços publicitários através de um leilão com todos os concorrentes, sob o modelo RTB. Apesar de enriquecer seu trabalho com dados proprietários e de terceiros, a DMP não é requisito necessário para compra de espaço feita pela DSP.

Alcance é o primeiro diferencial

Como a DSP permite comprar impressões em displays de publicidade através de várias Ad Exchanges diferentes (cada uma delas operando através de RTB), o alcance passa a ser um diferencial em relação ao AdWords, que é direcionado ao Google Display Network (GDN), embora ambos possam ser utilizados complementarmente.

O esquema sofisticado de segmentação, com algoritmos otimizados para ajudar o usuário em sua tomada de decisão, são qualidades do DSP. Em milisegundos, a ferramenta consegue agrupar dados para saber aonde cada anúncio seu pode ser exibido com eficiência.

Foi principalmente após a entrada de grandes portais que o alcance das DSP’s aumentou significativamente, até se tornar pauta para o planejamento de mídia para empresas. Claro, a participação do Facebook Exchange (FBX) e o Google/DoubleClick Ad Exchange (AdEx) também entram neste bojo de longo alcance.

 

dsp-data-management-plataform

Otimização de audiência

O nível de segmentação das DSP é profundo, sendo possível escolher entre uma gama de dispositivos, escolhas geográficas e opções de remarketing. Apesar de não segmentar nenhuma palavra-chave – pois este não é seu objetivo – a relevância das segmentações por categorias é precisa, já que conta com dados de seu ecossistema.

Atualização dos dados

As Demand Side Plataform’s também são fantásticas em atualização de dados. O objetivo é que você consiga monitorar sua campanha em tempo real, para conseguir modificá-la assim que perceber um revés. O AdWords, por exemplo, emite relatórios de cliques de 2 a 3 horas após o evento e alguns dados só são inclusos após 18 horas de delay.

Com isso, você poderá ter insights enquanto monitora suas campanhas, ao perceber que um dado tipo de anúncio está recebendo número baixo de cliques quando posicionado no rodapé e que ele está puxando o ROI da campanha para baixo. Com isso, a tomada de decisão é mais rápida.

Em resumo

As DSP’s são facilitadoras na hora de criar campanhas online, já que abrem caminho para compra de locais de anúncios otimizados para o tipo de cliente que você mesmo escolheu. Sua maior preocupação é disponibilizar um orçamento adequado ao nicho que você disputa e conseguir segmentar seu público até alcançar somente aqueles que de fato têm interesse em seu produto ou serviço.

Ao colocar os anúncios em um circuito específico, a probabilidade de conversão aumenta, já que os cliques de pessoas interessadas também irão aumentar.

O objetivo, sendo assim, é diminuir os gastos com campanhas inúteis, fracas e nada eficientes.

Acabando com este vazamento de dinheiro, você poderá investir melhor e aumentar seu desempenho com mídia. E como escolher um DSP para seu negócio?

É necessário atender quatro fatores:

  1. Escalabilidade: sua ferramenta precisa aumentar a habilidade de seu site em encontrar facilmente consumidores potenciais, com o conteúdo correto e rapidamente.
  2. Otimização: os DSP’s precisam integrar sua estratégia a cada campanha, para aumentar o valor de seus anúncios perante os clientes potenciais.
  3. Retorno sobre investimento (ROI): tenha certeza que seu DSP lhe trará toda informação possível para que você seja capaz de entender seu público e como você irá investir seu dinheiro.
  4. Transparência: na hora de fazer uma decisão, você precisa de clareza, seu DSP, além de te dar dados, precisa lhe oferecer boa interface, assim você gasta menos tempo para cada tomada de decisão.
Postado em Digital Analytics