Supply-Side Plataform, o que é e como pode te ajudar

Se, por um lado, anunciantes estão utilizando cada vez mais Demand-Side Plataform’s (DSP), plataformas para gerenciamento de compra de espaços publicitários, por outro lado, os portais também têm um jeito programático de disponibilizar seus inventários.

As Supply-Side Plataform’s (SSP) são ferramentas utilizadas para vender espaço publicitário (inventário) de maneira automatizada. Publisher’s online em geral podem utilizá-las para vender anúncios em vídeo, display para sites em versão desktop ou mobile.

Com elas, os publishers podem vender seu inventário com o maior CPM (custo por mil impressões) possível, maximizando a receita. Basicamente, os portais abrem seu inventário em ad exchanges, ad networks e DSP’s, para atrair o máximo de anunciantes possível.

A automação que as SSP’s aplicam ao processo de venda de inventário também permite agilidade na hora de vender espaços publicitários não negociados pela equipe comercial e aumenta o poder de negociação com a disponibilidade de dados a respeito do público consumidor.

Com as SSP’s, os publishers podem compartilhar dados de acesso de usuários que navegam por seu site, assim, contribuindo para a segmentação do anunciante e aumentando o valor do espaço publicitário em negociação. Sempre que um inventário ficar disponível para compra através de uma Supply-Side Plataform, os compradores (através de DSP’s, ad exchanges e/ou ad networks), podem

Quem paga mais pela impressão que melhor se encaixa no público segmentado ganha o leilão e apresenta seu anúncio no inventário para o visitante do site em questão.

Como indicado no início do artigo, existe uma relação entre as DSP’s e as SSP’s. Elas trabalham quase que simetricamente:  o último é o equivalente feito para publisher’s do primeiro. Enquanto as DSP’s servem para comprar anúncios com mais eficiência (os melhores inventários sob o melhor preço), o objetivo da SSP é vender com mais eficiência (maior preço possível). Inclusive, a tecnologia que move ambas as plataformas é similar.

dsp-ssp

A importância da SSP, portanto, está principalmente na rapidez em disponibilizar espaço publicitário, já que os dados de segmentação para o público-alvo são fornecidos por ferramentas de behavioral targeting, como dito acima. O processo acontece eficientemente e sem a necessidade de utilizar a equipe de vendas, que pode se dedicar a outros projetos.

Para anunciantes, também existe uma vantagem em negociar através de DSP’s e SSP’s, já que os preços passam a ser transparentes e definidos a partir do valor que o anunciante quer pagar e que o publisher quer vender. A partir destes dois limites, as negociações ocorrem em tempo real, em menos de um segundo, com o maior lance conseguindo espaço no portal.

Ad Exchange e Ad Network

O ad exchange, dito acima, é uma plataforma de compra e venda que permite anunciantes e portais negociarem, via Real Time Bidding (RTB), espaços publicitários.

Os anunciantes utilizam DSP’s para comprar espaços publicitários em ad exchanges e publisher’s utilizam SSP’s para conectar seus inventários em múltiplas ad exchanges.

Criadas antes das ad exchanges, as ad networks categorizam, segmentam e agregam inventários específicos de espaços publicitários. São redes não necessariamente abertas a qualquer usuário que disponibilizam grandes volumes de inventário para compra.

A diferença entre as duas está no objetivo final: enquanto as ad network’s estão preocupadas em vender grandes volumes de publicidade segmentada para um público que pode ou não ser privado, as ad exchange’s trabalham de maneira mais granular, com vendas segmentadas sob o modelo de RTB de compra.

As ad network’s tem um modelo de negociação diferente das Ad Exchange’s, pois não mostram o local em que a publicidade será comprada. As ad exchanges são transparentes ao mostrar o veículo onde os anúncios irão rodar e as compras são feitas a partir de RTB, com preços definidos sempre pela concorrência, assertividade do público e o mínimo exigido pelo publisher.

A relação das SSP’s com ambas é de alimentá-las com espaços publicitários.

O RTB, modelo de compra citado acima que opera as transações em ad exchanges, é como um leilão virtual: quando um usuário entra em um portal, o espaço publicitário disponível é posto à venda.

No processo de venda, os valores máximos ofertados por anunciantes e os valores mínimos exigidos por publisher’s são relacionados para que o maior valor ofertado ganhe a impressão.

A relação é feita a partir do cruzamento do público-alvo segmentado nas DSP’s pelos anunciantes, com a base de dados de comportamento do usuário nos veículos. Essas informações de comportamento estão embarcadas nas DSP’s, via ferramentas de Behavioral Targeting, e a partir desse cruzamento é possível segmentar o público-alvo para o anúncio e inferir qual espaço publicitário é mais adequado para receber impressões com as propagandas escolhidas.

Algumas ferramentas de SSP

Dentre as ferramentas disponíveis no mercado brasileiro, podemos citar:

Postado em Digital Analytics