O que é marketplace?

Marketplace é um site agregador de outros comércios, ficou confuso a explicação? Então vamos para o exemplo, se você já foi a um shopping center, sabe que este é um ambiente que agrega diversos lojistas, aliando conveniência tanto para o consumidor, que encontra muitas lojas num mesmo lugar, como para o varejista que tem acesso a um fluxo alto de potenciais consumidores passeando pelas ruas e alamedas do shopping. Trazendo para o digital esta é basicamente a mesma proposta de um marketplace, agregar lojas para trazer conveniência para o cliente e volume de possíveis clientes para o lojista.

Como surgiu os marketplaces no Brasil?

Ambientes como Mercado Livre foram precursores de marketplace, quando ninguém nem usava este nome, mas a categoria se popularizou a partir de 2010, com a adoção do modelo de negócio por gigantes do nosso comércio, como B2W (Submarino e Lojas Americanas) e Magazine Luiza, sem falar da gigante Amazon com seu marketplace extremamente relevante para o mercado americano.

O que significa Marketplace?

Na prática marketplace significa um mercado aberto com um grande tráfego de pessoas, no qual empresas de pequeno ou grande porte e, eventualmente, até pessoas físicas, conseguem disponibilizar seus produtos para venda e aproveitar este tráfego gerado pela marca que conduz o marketplace, para fazer negócios.

Como funciona um marketplace?

Marketplace conecta vendedores e compradores

Um marketplace precisa dos dois lados do consumo para funcionar, ou seja, precisa de demanda e oferta. Do lado da demanda, a empresa detentora do marketplace fica responsável por divulgar o lugar e os produtos disponíveis, para atrair volume de potenciais clientes. Do lado da oferta, o marketplace fica responsável por prover a estrutura tecnológica para que a venda seja viável. Geralmente, quem paga para o marketplace é a loja que está vendendo, podendo pagar uma mensalidade para uso, comissão sobre volume de vendas ou um modelo híbrido que mistura ambos os cenários. Há ainda marketplaces que cobrem para divulgação, privilegiando na exposição as empresas que pagam “anúncios” dentro da plataforma.

Exemplos de empresas que contam com marketplace?

Por ser um modelo de negócio embasado em volume de visitação, grandes nomes do varejo tradicional acabaram abrindo unidades de negócio para marketplace dentro das suas presenças online, sendo exemplo:

  • Magazine Luiza Marketplace
  • Americanas Marketplace
  • Cnova Marketplace
  • Walmart Marketplace
  • B2W Marketplace

Porém, temos marketplace de diversos segmentos, passando de venda de carros a pedido de comida, como:

  • IFood
  • Xbox Marketplace
  • Facebook Marketplace

Diversas empresas de tecnologia estão migrando para o modelo de marketplace, pensando exatamente no papel de unir Demanda e Oferta, viabilizado pela tecnologia. Assim, se você atua em algum mercado específico é bom ficar de olho, pois pode ter alguma plataforma disponível para te ajudar a vender.

Como ter uma loja num marketplace?

Geralmente cada marketplace tem sua própria política de seleção e preço, sendo bastante criteriosos na escolha de parceiros, visto que compartilham sua marca e responsabilidade com tais expositores. Além disso, nos últimos anos este modelo de negócio tornou-se muito popular, assim para ter uma loja no marketplace de um grande varejista deve-se se seguir normas e ter algum conhecimento técnico para viabilizar as integrações. 

Há quem opte por ser exclusivo de uma plataforma, porém é cada vez mais comum um pequeno varejista ter seu próprio e-commerce e integrá-lo com diversos marketplaces, para ganhar maior cobertura de divulgação e, consequentemente, maiores chances de vender. Obviamente, por ser uma relação comercial muitas vezes destoante de poder, a dinâmica de trabalho entre marketplaces e lojistas pode gerar ruído, assim se você quer vender em marketplaces, é muito importante se cercar de profissionais, empresas e parceiros que possam agregar conhecimento, inclusive no âmbito de desenvolvimento tecnológico.